Perfis motivacionais em contexto de formação desportiva: uma abordagem da teoria da autodeterminação

dc.contributor.advisorAraújo, Alexandra M., orientador científico
dc.contributor.advisorSilva, Sara, orientador científico
dc.contributor.authorFreire, Ricardo Jorge Sousa
dc.date.accessioned2019-03-26T15:19:55Z
dc.date.available2019-03-26T15:19:55Z
dc.date.issued2019-01-18
dc.date.submitted2018-10
dc.description.abstractO presente estudo, assente nos princípios na teoria da autodeterminação (TAD; Deci & Ryan, 1985, 2000), procura contribuir para a investigação da motivação no contexto desportivo de formação. Estudos prévios orientados pela TAD demonstraram a existência de diferentes perfis motivacionais no contexto do exercício físico e do desporto de competição, com variações nas configurações de motivação autónoma e controlada e consequentes variações em termos de rendimento e bem-estar. Contudo, a investigação neste domínio não identificou, ainda, tais perfis, no contexto da formação desportiva, e especificamente no futebol. Adotando uma metodologia mista com um projeto sequencial exploratório (qualitativo/quantitativo), o presente estudo procurou explorar perfis motivacionais junto de 81 atletas de competição, com idades compreendidas entre os 11 e os 16 anos (M = 12.68, DP = 1.11) e compreender as suas relações com a perceção de suporte parental, as necessidades psicológicas básicas e o rendimento desportivo. Numa primeira fase, o estudo qualitativo incluiu a realização de grupos focais a seis treinadores de futebol (M= 30.5 anos, DP= 6.7). Através da análise das entrevistas, foi possível identificar indicadores de rendimento desportivo que contribuíram para o desenvolvimento de um instrumento capaz de medir, de forma ecologicamente válida, o rendimento no contexto de formação desportiva. Numa segunda fase, e na sua vertente quantitativa, a análise de clusters permitiu identificar quatro perfis motivacionais com configurações diferenciadas de formas autónomas e controladas de motivação para a prática desportiva. De um modo global, os resultados demonstram associações entre a regulação comportamental para a prática desportiva, a satisfação de necessidades psicológicas básicas, a perceção de suporte parental e o rendimento desportivo, no entanto não foram observadas diferenças nestas associações entre os clusters. Por fim, os resultados são discutidas à luz da TAD, sendo apresentadas as suas implicações práticas e teóricas e reflexões sobre futuras investigações.pt_PT
dc.identifier.citationFreire, R. J. S. (2019). Perfis motivacionais em contexto de formação desportiva: uma abordagem da teoria da autodeterminação. (Dissertação de Mestrado), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/2613pt_PT
dc.identifier.tid202190196pt_PT
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11328/2613
dc.language.isoporpt_PT
dc.rightsopen accesspt_PT
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by/4.0/pt_PT
dc.subjectMotivaçãopt_PT
dc.subjectAutodeterminaçãopt_PT
dc.subjectNecessidades psicológicas básicaspt_PT
dc.subjectPerceção de suporte parentalpt_PT
dc.subjectRendimento desportivopt_PT
dc.subject.fosPsychologypt_PT
dc.titlePerfis motivacionais em contexto de formação desportiva: uma abordagem da teoria da autodeterminaçãopt_PT
dc.typemaster thesispt_PT
dspace.entity.typePublicationen
thesis.degree.nameMestrado em Psicologia Clínica e da Saúdept_PT
Ficheiros
Principais
A mostrar 1 - 1 de 1
A carregar...
Miniatura
Nome:
TMPS 131.pdf
Tamanho:
1.33 MB
Formato:
Adobe Portable Document Format