Miguel, Isabel

A carregar...
Foto do perfil

Endereço de Email

Data de nascimento

Cargo

Último Nome

Miguel

Primeiro Nome

Isabel

Nome

Isabel Miguel

Biografia

Isabel Miguel holds a Ph.D. in Social Psychology, from the University of Coimbra, Portugal. Graduate degree in Psychology, by the same University. She is currently Assistant Professor at the Department of Psychology and Education at Portucalense University (UPT), where she teaches in the fields of social psychology and developmental psychology. She is the Erasmus Coordinator for the Department of Psychology and Education, at UPT. She is an integrated member of Portucalense Psychology Institute (I2P) of Portucalense University. At present, her main research interests include social representations, social psychology of development, social contexts of aging, age attitudes and discrimination, and behavior change. She has (co-) authored publication in scientific journals, conferences proceedings and book chapter in these fields. She is a founding member of the Social Psychology Center (NPO) of the Portuguese Association of Psychology (APP). Afiliação: I2P - Instituto Portucalense de Psicologia. DPE - Departamento de Psicologia e Educação.

Projetos de investigação

Unidades organizacionais

Organização
CINTESIS.UPT - Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde
Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS.UPT), former I2P, is an R&D unit devoted to the study of cognition and behaviour in context. With an interdisciplinary focus, namely on Education, Translational and Applied Psychology

Resultados da pesquisa

A mostrar 1 - 10 de 38
  • PublicaçãoAcesso Aberto
    Mais idade, menos participação? Lógicas de resgate da cidadania na população idosa.
    2016 - Miguel, Isabel
    Mais do que qualquer outra época na história da Humanidade, o século XX caracterizou-se por profundas e radicais transformações na estrutura etária das populações, destacando-se o aumento da esperança média de vida e o crescimento proporcional dos indivíduos com idade superior a 65 anos como os factos mais significativos nesta acentuada reconfiguração demográfica. Trata-se de um fenómeno simultaneamente global e local, com expressivas e incontornáveis implicações a curto e a médio prazo, sobretudo à medida que a diminuição das taxas de natalidade que ultimamente se têm observado na maioria dos países, sobretudo os desenvolvidos, sinaliza um incremento ainda maior no processo global de envelhecimento da população. O cenário que se desenha é, pois, de profundas transformações sociais. Perante esta nova realidade, formula-se não só uma importante exigência de estudos para o aprofundamento do conhecimento do fenómeno, como, acima de tudo, se reclamam modelos inovadores e sintonizados com a contemporaneidade, que garantam vida com qualidade para este crescente contingente populacional. A procura de respostas para os novos problemas e perplexidades decorrentes das modificações na configuração das pirâmides etárias e suas consequentes implicações impõe, deste modo, a necessidade de (re)pensar os novos papéis dos idosos nas sociedades atuais, vis-à-vis com a (re)definição de políticas públicas dirigidas ao envelhecimento. Nesta perspetiva, urge um movimento de (re)valorização social do idoso que, em larga medida, abandone as conceções tradicionais que associam a velhice à incapacidade e declínio (cf. Miguel, in press), desconstruindo os mitos negativos da velhice e quebrando os preceitos de discriminação dos idosos. Torna-se, portanto, essencial uma reflexão intencional e autêntica que possa potenciar o empowerment dos idosos, reforçando o seu valor instrumental na consolidação do imperativo ético de participação social e a (re)construção dos sujeitos-cidadãos. Considerando as diferentes formas de organização social, cultural, económica e política surgidos da evolução demográfica, a redefinição de uma nova imagem do envelhecimento implica, assim, que sejam consideradas dimensões mais latas em termos sociais, institucionais e políticos, assentes numa mudança de paradigma que permita a promoção de uma cidadania de inclusão social (Amaro da Luz & Miguel, 2013). É, pois, a este nível que, no quadro das políticas sociais, importa (re)equacionar as lógicas de exercício da cidadania para a população idosa, reforçando a sua lógica inclusiva e de participação (Fenge, 2001; Lie, Baines, & Wheelock, 2009; Valokivi, 2005; Veras & Peixoto, 2004). O presente trabalho visa, assim, contribuir para (re)equacionar o papel das políticas sociais no resgate de cidadania da população idosa, num referencial de cidadania inclusiva e valorização social.
  • PublicaçãoAcesso Aberto
    Perspectives on Micro(Nano)Plastics in the marine environment: biological and societal considerations
    2020-11-16 - Soares, Joana; Venâncio, Cátia; Lopes, Isabel; Oliveira, Miguel; Miguel, Isabel
    Marine litter is a global problem which has been negatively affecting the environment. Plastic materials are the most commonly found marine debris, with potential biological (not only for aquatic organisms but also for humans) as well as socio‐economic impacts. Considering that it is an anthropogenic problem, society could play an important role to minimize it. Although a considerable amount of research has addressed the biological effects of plastics (micro(nano)plastics) on biota, few studies have addressed how scientific information is being transmitted to the public and the potential role of citizen environmental education. The current paper discusses known effects, researched topics and how scientific knowledge is currently being transmitted to the public.
  • PublicaçãoAcesso Restrito
    Public views on plastic pollution: Knowledge, perceived impacts, and pro-environmental behaviours
    2021-01-28 - Soares, Joana; Venâncio, Cátia; Lopes, Isabel; Oliveira, Miguel; Miguel, Isabel
    Nowadays, plastic pollution is considered an issue of global concern. This environmental problem results from human industrial and domestic activities, associated with poor management, from manufacturing processes to productsʼ end life. In this perspective, human consumption and management of daily used plastic materials can play a determinant role to control this environmental issue. Thus, understanding public perceptions about plastic pollution may be a valuable resource to engage society in solutions to reduce its environmental release. In this study, perceptions about plastic pollution, its impacts as well as sociodemographic and psychological factors predicting individuals’ pro-environmental behaviours were analysed, in the Portuguese context. Overall, results showed that there is a general knowledge that plastics degrade in the environment. The participants of the study perceived the bio-ecological impacts of plastics as a greater threat than the socioeconomic impacts. A hierarchical regression analyses revealed that sociodemographic variables and those related to knowledge and perceived impacts about plastic pollution can predict participants’ pro-environmental behaviours. Awareness about the impacts of plastic pollution (socioeconomic, health impacts and bio-ecological impacts) were highly associated to pro-environmental behaviour. This study data can help to understand how to enhance pro-environmental behaviours and contribute to decrease the presence of micro(nano)plastics in the environment.
  • PublicaçãoAcesso Aberto
    Novas tecnologias aplicadas à estimulação cognitiva em idosos com demência: Efeitos e potencialidades.
    2015 - Amaro da Luz, Helena; Miguel, Isabel
    A demência constitui, atualmente, uma das principais patologias associadas ao envelhecimento, com graves e importantes limitações em termos da funcionalidade do idoso. Dada a sua crescente incidência [1], a intervenção no domínio da demência tem sido pautada pelo desenvolvimento de estratégias e programas de estimulação cognitiva, que procuram minimizar os seus efeitos nefastos e, simultaneamente, otimizar a funcionalidade global [2] [3] [4]. Estes programas constituem novos campos de conhecimento e intervenção, em casos mais recentes apoiados pelas novas tecnologias que, devido à sua sensibilidade, eficácia e acessibilidade se revelam eficazes ao nível da intervenção na deterioração cognitiva. Com efeito, vários têm sido os programas que, recorrendo a novas tecnologias, vêm demonstrando a sua utilidade e resultados positivos para idosos com demência. O objetivo do presente trabalho é apresentar uma abordagem de revisão empírica dos efeitos da estimulação cognitiva com recurso a novas tecnologias em idosos com demência. Conclui-se que a intervenção resulta bem sucedida na estabilização e melhoria das perdas cognitivas, apresentando-se as novas tecnologias como importantes alternativas às formas mais convencionais de lidar com esta enfermidade.
  • PublicaçãoAcesso Aberto
    Envelhecimento e desenvolvimento psicológico: Entre mitos e factos.
    2014 - Miguel, Isabel
    O processo de envelhecimento caracteriza-se por ser contínuo, irreversível e universal, implicando a ocorrência de várias alterações no organismo que se repercutem em dimensões diversas do desenvolvimento humano. Não obstante a sua universalidade, existem todavia várias formas de envelhecer, associadas tanto à variabilidade das características dos indivíduos, como ao contexto sociocultural. Neste sentido, envelhecer relaciona-se não só com as alterações biológicas e psicológicas, mas também com os padrões sociais dominantes e a forma como as sociedades perspetivam o envelhecimento. O objetivo deste texto é apresentar um corpo empírico que evidencia uma noção essencialmente negativa da velhice traçada em termos sociais e culturais, contrapondo a esta visão as principais bases teóricas e empíricas no âmbito da promoção do desenvolvimento e envelhecimento bem-sucedido em pessoas idosas. A emergência desta perspetiva positiva e desenvolvimental permite reforçar o princípio da plasticidade dos processos de envelhecimento e desmistificar muitos dos mitos que associam a velhice a um processo patológico. As bases conceptuais e empíricas subjacentes ao desenvolvimento no envelhecimento são apresentadas neste artigo, discutindo-se igualmente as implicações desta perspetiva para o desenho de intervenções em diversos níveis, dirigidas quer aos indivíduos, quer aos contextos a que estes pertencem.
  • PublicaçãoAcesso Aberto
    Knowledge, concerns and attitudes towards plastic pollution: An empirical study of public perceptions in Portugal
    2023-10 - Santos, Ana; Venâncio, Cátia; Oliveira, Miguel; Miguel, Isabel
    While the harmful effects of different types of plastic particles have been increasingly reported, studies on public perceptions and behaviors related to plastic pollution may be considered limited. The present study aims to assess the general public's knowledge, awareness, and concern about plastic pollution in different environmental compartments (air, water, and soil) and assess recycling behaviors. For this, a large representative sample was considered (over 1000 participants), composed of members of different genders, levels of education, and age groups. Overall, the results showed that participants were aware of plastic pollution in many environmental compartments, although they reported being more concerned about the marine and land environments than the air. Participants' levels of concern about the plastic problem were influenced by age and level of education, with older participants and those with lower educational levels attributing less importance to recycling as a means of tackling the plastic problem. Women are more likely to adopt plastic alternatives and engage in recycling practices than men. Data allowed the identification of priority sociodemographic characteristics of communities that should be targeted in education and awareness-raising activities.
  • PublicaçãoAcesso Restrito
    Intergenerational climate and work engagement: The mediating role of perceived age discrimination in a sample of older workers
    2024-05-13 - Gomes, Priscila; Miguel, Isabel; Hernández, Ana
    Given that different generations can be found in the workplace, due to the increase of work life cycle, research regarding the impact of intergenerational climate and perceived age discrimination on work engagement is of relevance, especially among older workers, as those most impacted by age discrimination. The objective of this study was to investigate intergenerational climate and work engagement, and whether this relationship is mediated by age discrimination. The hypotheses were tested in a sample of 201 Portuguese workers with 45 or more years of age, by means of regression. Findings showed that intergenerational inclusiveness and affect, retention and intergenerational affect, and generational stereotypes are negatively related to perceived age discrimination. Furthermore, work engagement seems to only be positively impacted by intergenerational inclusiveness and affect. Age discrimination did not act as a mediator. Theoretical and practical implications to human resources management strategies in organizations are discussed.
  • PublicaçãoAcesso Aberto
    Questionário de Estilos e Dimensões Parentais – Versão Reduzida: Adaptação portuguesa do Parenting Styles and Dimensions Questionnaire – Short Form.
    2009 - Valentim, Joaquim Pires; Carugati, Felice; Miguel, Isabel
    O Parenting Styles and Dimensions Questionnaire – Short Form (Robinson, Mandleco, Olsen & Hart, 2001) é um questionário utilizado para avaliar os estilos parentais de pais e mães de crianças em idade escolar, cujas qualidades psicométricas estão bem estabelecidas internacionalmente. Com o objectivo de apresentar a versão portuguesa deste instrumento, o questionário foi aplicado a uma amostra de 344 pais e mães com filhos a frequentar o 1º Ciclo do Ensino Básico. A sua estrutura, evidenciada graças ao recurso à técnica de modelação de equações estruturais (análise factorial confirmatória), revelou-se semelhante à original: multidimensional e hierárquica, formada por factores de primeira e segunda ordem, que diferenciam os estilos parentais democrático, autoritário e permissivo, bem como as respectivas dimensões. Em termos gerais, os resultados finais revelam um bom ajustamento do modelo teórico aos dados. A consistência interna apresenta, igualmente, valores próximos da versão original, podendo ser considerada satisfatória.
  • PublicaçãoAcesso Restrito
    Perspectives on perceived workplace age discrimination and engagement: The moderating role of emotion regulation
    2024-04-22 - Miguel, Isabel; von Humboldt, Sofia; Silva, Sara; Tavares, Patrícia; Low, Gail; Leal, Isabel; Valentim, Joaquim Pires
    Engaging workers with their work is fundamental for employee wellbeing and performance. Perceived age discrimination in the workplace is a factor that may influence workers’ engagement. The present study aimed to analyze the moderating role of emotion regulation in the relationship between perceived age discrimination and work engagement. Survey data were collected from a sample of 453 Portuguese workers of various age groups, between 18 and 65 years-old. Four instruments were used in this study: (a) a sociodemographic questionnaire; (b) the Workplace Age Discrimination Scale (WADS); (c) the Emotion Regulation Scale and (d) the reduced version of the Utrecht Work Engagement Scale (UWES-9). Results show that perceived workplace age discrimination negatively impacts work engagement. Further, results suggest that emotional regulation exacerbates the negative relationship between perceived age discrimination and work engagement. The progressively aging workforce is creating challenging issues to organizations, from a human resource management perspective. Age management strategies to address perceived age discrimination and work engagement are needed.
  • PublicaçãoAcesso Restrito
    Representações sociais: Emergência e abordagens teóricas de uma teoria psicossocial do pensamento social
    2022-09-09 - Miguel, Isabel
    Como pensamos no quotidiano? O que tem de específico o pensamento do senso comum? Como apreendemos noções abstratas e complexas, como é o caso de conceitos científicos que usamos na vida de todos os dias? O que pensamos sobre «coisas» como a COVID-19, a globalização, os direitos humanos, a doença mental, o aquecimento global, ou a inteligência? Será que quando se trata de defender uma posição que nos é cara ou um amigo, explicar algo novo que parece inexplicável, prever o futuro, lidarmos com uma pandemia, persistir num preconceito, aplicamos sempre as regras do pensamento racional, como por exemplo a lei da não contradição? Porque é que, por vezes, é tão difícil abandonarmos ideias erradas? É deste tipo de questões que trata a teoria das representações sociais, aqui apresentada de forma clara e diversificada por alguns dos autores que se têm destacado neste campo de estudos, sendo esta a primeira contribuição deste género publicada em Portugal.