Estudo neuropsicológico em delinquentes juvenis

dc.contributor.authorSilva, Ana Sofia Beça Ribas da
dc.contributor.authorFernandes, Sara M.
dc.date.accessioned2016-11-22T11:08:50Z
dc.date.available2016-11-22T11:08:50Z
dc.date.issued2012
dc.description.abstractIntrodução: A delinquência juvenil é caracterizada por vários fatores de risco, nomeadamente a nível comportamental, emocional e cognitivo. No entanto, também aparecem associados a jovens que delinquiram, alterações significativas a nível neuropsicológico que podem interferir com o seu normal desenvolvimento. Objetivos: Com este estudo, de natureza exploratório, procuramos averiguar as características neuropsicológicas em adolescentes que delinquiram e se encontravam a cumprir medida tutelar num Centro Educativo da cidade do Porto. Procuramos também analisar a existência de correlações parciais significativas intra-teste e inter-teste das provas de avaliação neuropsicológicas utilizadas neste estudo e também a existência de diferenças significativas entre as variáveis sócio-demográficas em função do rendimento dos testes utilizados. Método: Foi constituída uma amostra de 31 adolescentes, que se encontravam no Centro Educativo. Para avaliar as características neuropsicológicas foi utilizada uma bateria de testes neuropsicológicos, entre os quais a Escala de Inteligência de Wechsler para Crianças (Wechsler, 2003), Figura Complexa de Rey (Rey, 1988), Stroop – Teste de Cores e Palavras (Golden, 2007), TRVB – Teste de Retenção Visual de Benton (Benton, 2002) e o WCST – Teste de Classificação de Cartas de Wisconsin (Heaton, Chelune, Talley, Kay, e Curtiss, 2001). Resultados: Os resultados obtidos por esta amostra, não generalizáveis ao universo dos adolescentes delinquentes institucionalizados, sugerem alterações neuropsicológicas a nível da memória, das funções executivas, funções verbais e atencionais. Verificou-se também a existência de correlações parciais significativas intra-teste e inter-teste e em relação às variáveis sócio-demográficas, não se encontraram diferenças estatisticamente significativas no rendimento dos testes. Conclusão: Este estudo permitiu identificar alterações neuropsicológicas características em adolescentes delinquentes e a existência de fatores de risco para a delinquência da amostra estudada.pt_PT
dc.identifier.citationSilva, A. S. B. R., & Fernandes, S. M. (2012). Estudo neuropsicológico em delinquentes juvenis. Lusíada: Direito, 5/6, 41-68. URI: http://hdl.handle.net/11328/1653.pt_PT
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11328/1653
dc.language.isoporpt_PT
dc.peerreviewedyespt_PT
dc.rightsopen accesspt_PT
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by/4.0/pt_PT
dc.subjectDelinquência juvenilpt_PT
dc.subjectAlterações neuropsicológicos da delinquênciapt_PT
dc.subjectAlterações da memóriapt_PT
dc.subjectFunções executivaspt_PT
dc.subjectDéfices de atençãopt_PT
dc.titleEstudo neuropsicológico em delinquentes juvenispt_PT
dc.typejournal articlept_PT
degois.publication.firstPage41pt_PT
degois.publication.issue5/6pt_PT
degois.publication.lastPage68pt_PT
degois.publication.titleLusíada: Direitopt_PT
dspace.entity.typePublicationen
Ficheiros
Principais
A mostrar 1 - 1 de 1
A carregar...
Miniatura
Nome:
estudo_neurpsicologico_em delinquentes.pdf
Tamanho:
303.36 KB
Formato:
Adobe Portable Document Format